“Quem sou eu para julgar?”, pergunta Francisco em Santa Marta

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • “Uma nova educação para uma nova economia”: Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, ministrará videoconferência nesta quinta-feira

    LER MAIS
  • O enorme triunfo dos ricos, ilustrado por novos dados impressionantes

    LER MAIS
  • Família Franciscana repudia lei sancionada por Bolsonaro que declara o dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, como dia Nacional do Rodeio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Caroline | 19 Março 2014

O Papa centrou sua homilia em Santa Marta na misericórdia. Francisco explicou que para ser misericordioso são necessárias algumas condutas: a primeira é envergonhar-se dos próprios pecados e a segunda, expandir o coração.

A reportagem é publicada por Rome Reporter, 17-03-2014. A tradução é do Cepat.

“Se todos os povos, as pessoas, as famílias, as comunidades, tivessem esta atitude, quanta paz haveria no mundo, quanta paz haveria em nossos corações! Porque a misericórdia nos conduz a paz. Devemos recordar sempre: ‘Quem sou eu para julgar? ’. Devemos nos envergonhar e expandir o coração. Que o Senhor nos conceda esta graça”, disse Francisco.

O Papa acrescentou que as pessoas com um coração generoso não julgam aos demais por seus pecados, mas reconhecem os seus próprios e pedem perdão a Deus.

Trechos da homília do Papa

“É certo, nenhum de nós assassinou alguém, mas há tantas coisas pequenas, tantos pecados cotidianos, todos os dias... E quando alguém pensa: “Mas que coisa, mas que coração pequeno: de fato isto vai contra ao Senhor!’. ‘Isso é envergonhar-se! Envergonhar-se ante a Deus e esta vergonha é uma graça: é a graça de ser pecador. Eu sou pecador e me envergonho frente a Ti e te peço perdão’. É sensível, mas é “tão difícil dizer: ‘Pequei’”.  

“Expandir o coração! ‘Contudo sou um pecador’. Olha o que coisa ele fez, e aquele... Eu fiz tantas! Quem sou eu para julgá-los? ’. Esta frase: ‘Quem sou eu para julgá-lo? Quem sou eu para falar mal? Que sou eu para tal? Quem sou eu, que fiz as mesmas coisas, ou até coisas piores? O Coração é grande! E o Senhor disse: ‘Não julguem e não serão julgados! Não condenem e não serão condenados! Perdoem e serão perdoados! Deem e também será dado a você! Esta é a generosidade do coração! E, que coisa será dada a ti? Será derramada em seu colo uma boa medida, apertada, sacudida e transbordante. É a imagem das pessoas que iam recolher o grão com o avental e o esticavam para receber mais, mais grãos. Se tiveres o coração grande, poderá receber mais”.

“O homem e a mulher misericordiosos têm um coração grande, grande: perdoam sempre aos demais e pensam apenas em seus próprios pecados. ‘Viu que coisa ele fez?’. ‘Já possuo o suficiente com o que eu mesmo fiz e não me intrometo!’. Este é caminho da misericórdia que devemos pedir. Se todos nós, se todos os povos, as pessoas, as famílias, as comunidades tiverem esta atitude, quanta paz haverá no mundo, quanta paz haverá em nossos corações! Porque a misericórdia nos conduz a paz. Lembrem-se sempre: ‘Quem sou eu para julgar?’. Deve-se envergonhar e expandir o coração. Que o Senhor nos dê esta graça”.

Para assistir o vídeo, com um trecho da homilia, em italiano, clique aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Quem sou eu para julgar?”, pergunta Francisco em Santa Marta - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV