14-03-1800 - eleição do Papa Pio VII, restaurador da Companhia de Jesus

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Março 2014

Há 214 anos, nascia o Papa Pio VII, aquele que viria a assinar a bula de restauração dos jesuítas. Sua causa de canonização está em andamento, e hoje ele tem o título de "Servo de Deus".

A nota é publicada por Jesuit Restoration 1814, 14-03-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

No dia 14 de março, há 214 anos, o cardeal Barnaba Niccolò Maria Luigi Chiaramonti foi eleito papa e permaneceu no exercício do ministério petrino por 23 anos.

Monge beneditino, teólogo e bispo, foi ele que universalmente restaurou a Companhia de Jesus em 1814, com a publicação da Bula Sollicitudo omnium ecclesiarum.

Seu antecessor, Pio VI, havia morrido na França, e o conclave para eleger o seu sucessor ocorreu no mosteiro beneditino de San Giorgio, em Veneza. O conclave durou vários meses, já que um impasse surgiu devido à influência dos Habsburgos, entre os quais Francisco II, o último imperador do Sacro Império Romano, e os cardeais austríacos que ele controlava.

A Áustria estava envolvida em uma guerra contra Napoleão e os franceses. O cardeal Chiaramonti conseguiu entrar como candidato de compromisso e tomou o nome pontifício de Pio VII. Ele foi coroado em 21 de março, em uma cerimônia bastante incomum, vestindo uma tiara papal feita de papel machê, já que os franceses haviam apreendido a original quando capturaram Pio VI.

Depois de sua eleição, ele partiu para Roma em um navio austríaco em condições precárias de navegação, o "Bellona", que nem sequer tinha equipamentos de cozinha. A viagem durou 12 dias para levá-lo até Pesaro, de onde ele prosseguiu até Roma.

Um passo importante e astuto de seu pontificado foi a nomeação do secretário do conclave, Ercole Consalvi, como seu secretário de Estado. Consalvi foi elevado ao Colégio Cardinalício e, de acordo com a Enciclopédia Católica, foi um dos maiores estadistas do século XIX. Ele foi fundamental para os muitos sucessos do longo pontificado de Pio VII.

Pio VII conseguiu restaurar os Estados Pontifícios, garantidos no Congresso de Viena por Consalvi. A administração temporal desses Estados tinha sido melhorada pelos franceses, e Pio VII criteriosamente manteve essas mudanças, os direitos feudais da nobreza foram abolidos, e os antigos privilégios dos municípios, suprimidos.

Durante seu pontificado, Pio VII criou 99 cardeais em 19 consistórios. Ele está agora no processo rumo à santificação. A sua causa de canonização foi iniciada a pedido do Papa Bento XVI, em 2007, e a ele foi concedido o título de Servo de Deus.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

14-03-1800 - eleição do Papa Pio VII, restaurador da Companhia de Jesus - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV