Sem vaga em creche mãe deixa criança no gabinete de prefeito para poder trabalhar

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O coronavírus é um pedagogo cruel”. Entrevista com Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • Porque a América Latina é o epicentro da pandemia? Artigo de Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • Se nos empenharmos a aliviar tanto sofrimento, estaremos buscando a Deus. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 21 Fevereiro 2014

Em protesto, uma mulher deixou o filho de 10 meses no gabinete do prefeito de Guaramirim, no Norte de Santa Catarina, na tarde de terça-feira (18), alegando falta de vagas na Educação Infantil do município. Segundo a Prefeitura, ela disse que precisava ir para o trabalho e não tinha com quem deixar a criança. O Conselho Tutelar informou que registrou boletim de ocorrência por se tratar de um caso de abandono de incapaz.

A reportagem é de Cristiano Anunciação e publicada pelo G1, 20-02-2014.

De acordo com a procuradora-geral do Município, Rafaela Cardozo, a mãe deixou o bebê acomodado em um cercadinho portátil em um canto da sala com uma malinha. A criança ficou no local por quase 15 minutos. A Prefeitura acionou o Conselho Tutelar e comunicou o caso ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

O órgão municipal afirmou que os pais do bebê haviam sido beneficiados com uma vaga em uma creche da cidade, mas não aceitaram pelo fato de ser longe da casa deles. A procuradora explicou que a creche onde foi conseguida a vaga fica a menos de dois quilômetros de onde a mãe queria. O G1 não conseguiu o contato da mulher para obter mais informações.

Conforme as informações do Conselho Tutelar, a criança foi levada para a sede do órgão e os pais foram chamados para uma conversa. As conselheiras informaram que requisitou à Prefeitura de Guaramirim uma vaga na creche mais próxima da casa deles. O bebê foi devolvido para a família ainda na terça (18).

O MPSC declarou que não foi necessário intervir, já que o Conselho Tutelar havia resolvido a questão. O órgão estadual informou ainda que está em vigência um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com a Prefeitura para garantir o número de vagas necessárias para atender à demanda no município.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Sem vaga em creche mãe deixa criança no gabinete de prefeito para poder trabalhar - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV