Centenário do pensador e monge trapista Thomas Merton é celebrado em São Paulo

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • O cardeal Burke inicia a cruzada contra o Sínodo sobre a Amazônia, com base em um documento herético

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Janeiro 2015

Assim como acontece em outros países, o Brasil se engaja na comemoração do centenário de Thomas Merton (Prades/França, 31 de janeiro de 1915 - Bangcoc/ Tailândia, 10 de dezembro de 1968), monge trapista, pacifista, escritor, poeta, artista plástico, autor de mais de 70 livros sobre espiritualidade, com cerca de 40 títulos publicados em português, e grande entusiasta do diálogo inter-religioso.

Embora tenha vivido 27 anos recolhido no mosteiro da Abadia de Gethsemani, em Kentucky, nos Estados Unidos, manteve intensa correspondência com centenas de intelectuais e líderes espirituais, como Dalai Lama, com quem manteve diversos encontros. No Brasil, trocava cartas com o escritor Alceu de Amoroso Lima, com os monges beneditinos Dom Basílio Penido, Dom Timóteo Amoroso Anastácio, Dom Estêvão Bettencourt e, principalmente, com a Irmã Maria Emmanuel de Souza e Silva, responsável pela tradução da maioria dos livros no Brasil.

Para comemorar esse seu enorme legado, a Sociedade dos Amigos Fraternos de Thomas Merton (SAFTM) e o Mosteiro de São Bento (SP) realizam, a partir do dia 31 de janeiro, data do nascimento de Thomas Merton, uma série de eventos. As festividades começam com a celebração de uma missa pontifical presidida pelo Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, e concelebrada por Dom Mathias Braga e Dom Bernardo Bonowitz.

Além disso, será inaugurada uma exposição com fotos e desenhos de Thomas Merton – alguns deles pertenciam à Irmã Maria Emmanuel e jamais saíram dos arquivos do Mosteiro da Virgem, em Petrópolis –, uma palestra sobre a trajetória religiosa e intelectual do monge proferida por Dom Bernardo Bonowitz, monge do Mosteiro Nossa Senhora do Novo Mundo, em Campo no Tenente (PR). Haverá ainda um coquetel de lançamento do livro “Mertonianum 100”, que reúne artigos e depoimentos de autoridades religiosas, leigos e pesquisadores a respeito da vida e da obra de Thomas Merton.

Em um momento em que vivemos amedrontados pelos conflitos religiosos, Thomas Merton deveria servir de exemplo, pois ele cultivava uma visão integralmente ecumênica da sociedade humana, o que contribuiu para que fosse visto como um dos pioneiros no campo da educação inter-religiosa e da teologia da libertação. Suas reflexões estão compiladas principalmente em sua autobiografia, “A Montanha dos Sete Patamares”, na qual esboça sua trajetória existencial, e em seu diário, inserido no livro “Merton da Intimidade”, no qual é possível conhecer seus dilemas, tentações, embates e a interação com as mais variadas tradições religiosas do Oriente.

Fluente em seis idiomas, Thomas Merton tinha uma ligação muito grande com o Brasil e com a língua portuguesa. Era admirador dos nossos poetas e escritores. Tanto que uma vez declarou: “O português é uma língua que me encanta e tornou-se a que mais amo. É para mim uma língua luminosa e cheia de calor humano”. Em outro momento disse: “Tenho muito amor aos brasileiros. Estou sempre querendo traduzir Jorge de Lima. Tenho os poemas de Manoel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e vários outros. Gosto e os leio todos...”.

O que é a Sociedade dos Amigos Fraternos de Thomas Merton (SAFTM)

Fundada em dezembro de 1996, a SAFTM é uma entidade informal, sem fins lucrativos, que procura despertar o interesse entre as novas gerações pela história, a obra e a vida monástica desse monge que inspira aqueles que prezam a espiritualidade e os ensinamentos da vida contemplativa. A SAFTM é afiliada à International Thomas Merton Society, com sede nos Estados Unidos.

Comemoração do Centenário de Thomas Merton

Data: 31/1/2015 (sábado)
Horário: das 10h às 13h
Local: Mosteiro de São Bento
Endereço: Largo de São Bento, s/n – Centro de São Paulo – São Paulo – SP
Entrada franca

Ficha técnica

Nome do livro: Mertonianum 100
Subtítulo: Comemoração de Centenário de Thomas Merton – Brasil 2015
Autor: Coletânea de textos de diversos autores
Páginas: 224
Edição: 1ª
Tipo de capa: Brochura (couché)
Formato: 175mm X 215mm
Editora: Riemma Editora
Ano: 2015
Assunto: Inter religiosidade
Idioma: Português

Veja também:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Centenário do pensador e monge trapista Thomas Merton é celebrado em São Paulo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV