Região Metropolitana de Porto Alegre teve mais demitidos do que contratados em 2018

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Quem são e onde estão os pobres do mundo

    LER MAIS
  • Há fome no Brasil: 3 dados alarmantes que Bolsonaro deveria conhecer

    LER MAIS
  • Programa ‘Future-se’ cria instabilidade financeira nas universidades, alerta Renato Janine Ribeiro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: João Conceição e Marilene Maia | 14 Fevereiro 2019

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED mostram que a Região Metropolitana de Porto Alegre teve mais demissão do que contratação no ano de 2018. O saldo acumulado durante o ano foi de menos 563 postos de trabalhos, ou seja, foram 458.309 admitidos e 458.872 e desligados ao longo de 2018. Dos doze meses do ano, metade foi registrada saldo negativo na criação de postos de trabalhos.

Em dezembro de 2018, somente o município de Eldorado do Sul apresentou saldo positivo, os demais 33 municípios da região tiveram saldo negativo na criação de postos de trabalho. Apesar desses resultados negativos em 2018, é o melhor registrado desde 2015, início da crise econômica no Brasil, quando houve uma desligamento de 51.457 trabalhadores na Região Metropolitana de Porto Alegre.

No acumulado de 2018, 14 municípios tiveram saldo positivo de postos de trabalho, com destaque ao município de São Leopoldo, que fechou o ano com 1.795 novos postos de trabalho, enquanto o município de Novo Hamburgo foi o que mais teve demissões na Região Metropolitana de Porto Alegre em 2018 (-1.882).

As informações captadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Contínua até o terceiro trimestre de 2018 revelam que mesmo diminuindo o saldo de admitidos e desligados, a taxa de desocupação mantem-se estagnada, em relação ao segundo trimestre de 2018. A taxa da PNAD Contínua considera desocupada a pessoa com mais de 14 anos que procurou emprego e não encontrou na semana da realização da pesquisa.

Quando se analisa a desocupação por idade, observa-se que os jovens entre 14 a 17 anos, a taxa de desocupação aumentou para 47,8% no terceiro trimestre do ano, enquanto entre os de 18 a 24 anos diminuiu para 20,5%. A pesquisa ainda mostra que a taxa de desocupação das mulheres segue sendo uma das mais altas da série histórica iniciada no ano de 2012.

As vagas criadas no ano de 2018 foi com 86,50% dos trabalhadores recebendo até 2 salários mínimos mensais e 78,58% dos postos de trabalhos com jornada de 41 a 44 horas semanais. Outro dado do CAGED é que na Região Metropolitana de Porto Alegre a maior parte desses empregos eram como auxiliar de escritório, vendedor e atividades de proteção e segurança.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Região Metropolitana de Porto Alegre teve mais demitidos do que contratados em 2018 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV